Prefácio - Sem Nada

 

O nome da história é 'SEM NADA' ...

Aqui está... Eu sei, nao vai ser nada de especial....Mas pelo menos tentai ...digam se nao gostarem , ok?

 

 

Sempre ponderei muito nas minhas acções, e no que elas iam ‘provocar’ nos outros.

Mas de vez em quando é preciso esquecer um bocado os outros, e pensarmos em nós…

Eu vivo com o Din, o meu irmão, e com a Cat, a minha melhor amiga.

Tenho 17 anos, e vivemos os três num apartamento no meio de uma cidade tão movimentada e ao mesmo tempo tão sozinha.

Os meus pais morreram quando eu tinha 12 anos, estavam a passar num banco e foram atingidos com duas balas perdidas…

Sem dizerem nada, nem se despedirem, deixaram-me a mim e ao Din completamente desamparados.

Apenas com um apartamento (bem girinho) como herança, o meu irmão trabalha de dia, como enfermeiro

no hospital central e de noite estuda, mais ainda, para poder ser melhor do que é, como se fosse possível.

O Din tem 22 anos, é alto (1m e 87), louro e de olhos verdes-castanhos. Desde a morte dos pais, mudou tanto, lembro-me

 dele como um irmão chato e que implicava com tudo e todos… agora, era com um pai, namorado, amigo, tudo …

menos irmão irresponsável.

Agora, quando ele tem uma noite livre, passamo-la no sofá, agarrados um ao outro (como namorados).

Ele costuma se deitar encostando as costas ás costas do sofá e eu á frente dele, com as costas o seu peito (duro e musculado), ele agarra-me pela cintura, fazendo-me sentir mais segura…Cada vez estamos mais próximos, mais íntimos e mais dependentes um do outro.

 Por mais que eu precise dele, ele também precisa muito de mim. Não é ser fraco a nível emocional, mas sim porque, eu sou a única coisa que ele tem no mundo, que não a a pode perder…

A Cat vivia connosco á 1 ano e meio. Eu e ela somos inseparáveis…

precisávamos de alguém para dividir as despesas, e a Cat foi uma boa escolha…

Ela é relativamente baixa, perante mim, magra e com os cabelos negros encaracolados, de olhos castanhos…

e com uma personalidade no mínimo bizarra. Cada semana trás um rapaz novo, antes o Din importava-se mas agora já não se incomoda…

eu já sou diferente, continuo a pensar como é que as pessoas conseguem ir para a cama com outras só por irem…

‘por puro prazer! ‘ Respondia-me ela. Mesmo assim era estranho…Ela tinha aulas de dança, á noite normalmente.

 De dia estudávamos as duas na faculdade de letras, tanto eu como ela íamos para jornalismo… e de tarde trabalhávamos num café.

Eu sou a Rebecca , com 17 anos. Vou tentar ter uma carreira no jornalismo, numa rádio ou assim.

Tenho o cabelo castanho claro a fugir para o ruivo, encaracolado, os olhos verdes e a pele muito branca.

 Tenho 1m e 78, o que é algo incomodativo.

Alem disso, não sou relativamente magra, tenho ancas e alguma barriga… mas não me considero muito feia…

Apenas normal, normal demais… Igual a tantas outras, sou só mais uma…

 

 

Nota:

A vida da Rebecca mudo quando o conhece… e com ele vem um misto de perigo e crueldade. Não, não é vampiro, é bem humano… mas com intrigas e problemas bem surreais… E eles estão ligados, quer queiram, quer não…

 

 

EU sei está uma porcaria... mas comentem alguma coisa!!! E digam se estao a gostar... ou nao.

Obridada por tudo!!!

sinto-me: muito bem, por publicar
música: The Skin of a Killer
tags:
publicado por RiiBaptista às 19:40 | link do post | comentar